sexta-feira, agosto 31, 2007

Falanstério 37 - Flagrante


Após uma temporada fora do Brasil estou de volta. Estou com várias postagens para serem colocadas de muitos temas. Mas tenho que postar logo esta, antes que perca a "validade".

Agora nas minhas viagens de bicicleta, sempre estarei com uma máquina fotográfica em mãos. Já era para ter feito isso faz tempo, mas não tinha o equipamento. Mas no primeiro passeio com a camêra na mão já consegui um flagrante.

A maioria sabe da guerra que existe em São Paulo entre motoboys e motoristas de carros, ônibus e caminhões. Por dia, são contados em média 70 acidentes com motos e 3 motoqueiros mortos. Não é díficil flagrar um acidente, ver discussões no trânsito e até participar de uma colisão. Foi o que passou ontem no programa Profissão Repórter, comandado pelo excelente jornalista Caco Barcellos.

Eu até consigo entender um pouco a vida desses entregadores de encomenda. Eles literalmente correm contra o tempo, quanto mais entregas forem feitas mais eles ganharão. E por isso muitas vezes fatalidades acontecem. Eu acredito que a maioria são pessoas honestas, mas quando sobem nas motos viram outras pessoas, como no vídeo do Pateta. Se transformam e vão para a batalha do dia-dia.

Passando por cima da Ponte Cidade Jardim, sentido Butantã, presenciei um acidente entre um motoqueiro e um carro. Não cheguei a ver a colisão, mas apareci no local minutos depois do acidente, às 11:50 do dia 29/08/07. Como se pode ver nas fotos, dezenas de motoqueiros já se aglomeravam para tentar ajudar os acidentados ou amendrotar o motorista. Esta é uma prática comum em acidentes com carros e motos. Solidários com seu companheiro de profissões os motoboys sempre param para prestar ajuda ou somente ameaçar o condutor, mesmo ele não tendo culpa.

O meu primeiro flagrante não foi algo inédito, mas é um começo para mostrar o agressivo trânsito da cidade. Não me conformo como as pessoas não respeitam as leis, como elas se agridem com máquinas e destruem suas próprias vidas. Se continuarmos nesse rumo o destino será cruel. Mas por sorte existem pessoas que estão na contra-mão disso e lutam por uma cidade mais sociável a agradável.


Nenhum comentário: