domingo, junho 29, 2008

Falanstério 67 - Bicicletada Junina

Balões para as bicicletas

O dia começou cedo. Às 9:30 da manhã, eu e o bike-repórter Marcelo Siqueira fomos comprar o vinho e os ingredientes no Centro da cidade. Ele iria produzir o vinho quente para a festa junina da Bicicletada de junho que começaria às 18:00 da última sexta-feira do mês.

Massa concentrada (foto: Tessie)

Depois da expedição do vinho voltamos e nos separamos. Fiz algumas coisas pela tarde inclusive uma consulta com a dentista/ciclista Chantal. Depois da consulta voltei com o amigo Bruno para o Bonde da Vila Olímpia que iria rumo à Praça do Ciclista. Nos reunimos e estávamos em 7. O trânsito para variar estava caótico e fomos cortando pelo corredor. Só pegamos pista livre na subida para a Avenida Paulista.

Bandeirolas (foto: Tessie)

Chegando na praça o clima já era de festa. Muitos ciclistas já faziam a confraternização. Uma toalha de piquenique estava exposta no gramado e comidas típicas da festa de São João eram servidas para os pedalantes. Paçoca, bolo de milho, pé de moleque, frutas entre outras delícias deixavam a festa mais saborosa.

Fogueira no raio (foto: Águia Dourada)

Tratamos de pendurar as bandeirolas com desenhos de simpáticas bicicletinhas e também balões coloridos que enfeitaram ainda mais a praça. Até a estátua recebeu um chapéu de palha. Aos poucos cada vez mais pessoas indo chegando e o ápice foi quando o Bonde do Butantã adentrou na avenida com mais de 20 ciclistas e uma bicicleta toda enfeitada e colorida com um DVD de música sertaneja.

Sirva-se à vontade

Mulher vestida de noivo, homem vestido de noiva, caipiras com bigodes e barbichas e camisas quadriculadas, madames com trancinhas, vestidos floridos e pintinhas nos rostos. Era esse o figurino da Bicicletada. O vinho quente começou a ser preparado. Com muitos ingredientes e um fogareiro esperto, ele era feito com bastante carinho. Enquanto isso a fogueira queimava e alguns pulavam por cima dela. A panfletagem corria solta e o momento do ínicio do pedal pela Avenida Paulista estava próximo. A festa estava tão boa que foi um pouco díficil começar a pedalar. Mas seria impossível aquela massa não querer passar sua mensagem para todos. E assim fizemos.

Noivo de noiva e noiva de noivo (foto: Águia Dourada)

Demos o nosso tradicional aquecimento pela praça e partimos com um itinerário simples. Avenida Paulista ida e volta. Sem a presença da polícia e da grande mídia, fizemos a nossa quadrilha pela rua. Os populares nos apoiávam e aplaudíam com louvor. Os motoristas de carros que vinham do lado contrário buzinavam com o grito "Quem gosta de bike buzina". Sem nenhum incidente e até com ajuda de dois policiais motoqueiros concluímos nosso passeio. Na chegada a cotidiana levantada das bicicletas para o alto. E depois disso a festa aumentou. Vinho quente pronto para satisfazer os ciclistas e uma sanfona que tocava maravilhosamente nossos corações.

Até Chiquinho tava caipira (foto: Tessie)

A dança foi formada com um enorme círculo. A massa estava unida novamente e bailava alegremente ao som da sanfona. Com gritos de "Bicicletada" e "Eu vou de bike" sentíamos a alegria inflamar a todos. O casório foi feito e todos apaludiram. E mais uma vez a massa passou. Uns disseram 500, outros 300, mas o que importa é que foi sensacional e cada mês que passa crescemos ainda mais e nunca iremos parar de crescer.

Pedalar é um direito (foto: Águia Dourada)

Fotos:
Vídeos:

3 comentários:

Marcelo Siqueira disse...

Parabens, belas fotos

Márcio disse...

Muito boa a compilação de fotos e o pique do relato, Aragonez.
E realmente, para mim o sanfoneiro foi a cara do nosso encontro. Música boa, um clássico, tocado ao vivo, habilidoso, demais a presença dele, não sei ainda quem é, mas gostaria que ele aparecesse mais por lá.

Abraço

Márcio Campos

Passageiro disse...

Uma pena morar longe, adoreria ir em todos esses passeios ciclisticos.